9 de mar de 2011

Como ajustar tamanho, suavização e DPI da fonte no GNOME 3

Nesta dica vamos demonstrar como personalizar o tamanho, suavização e DPI da fonte em sistemas que utilizam o GNOME 3 como ambiente de trabalho. O objetivo é deixar o sistema mais acessível para pessoas com baixa acuidade visual (o popular "problema de vista").

Muitas opções úteis do GNOME 3 estão "escondidas". É o caso das configurações da fonte (nome, tamanho, etc). Para alterá-las, é preciso utilizaar o dconf-editor ou o gsettings. Atualmente, o dconf-editor trava se os recursos de acessibilidade estiverem habilitados. Por este motivo, optamos pelo uso do gsettings (utilitário de linha de comando).

Nota: antes de realizar as alterações, você pode obter o valor atual da chave com o comando get.

O comando abaixo, por exemplo, exibe qual fonte e tamanho estão atualmente configurados:
gsettings get org.gnome.desktop.interface font-name

Alterar fonte

Para alterar a fonte, são necessários dois ajustes, como no exemplo abaixo:
gsettings set org.gnome.desktop.interface font-name 'Sans 11'
gsettings set org.gnome.desktop.interface use-custom-font true

Renderização da fonte

Três chaves podem ser modificadas. Exemplo:
gsettings set org.gnome.settings-daemon.plugins.xsettings antialiasing rgba
gsettings set org.gnome.settings-daemon.plugins.xsettings dpi 108
gsettings set org.gnome.settings-daemon.plugins.xsettings hinting slight

Outras opções ("Lid is close" action)
gsettings set org.gnome.settings-daemon.plugins.power active true
gsettings set org.gnome.settings-daemon.plugins.power lid-close-ac-action 'blank'

Testamos todos os comandos no Fedora 15 Alpha. Veja como era:

Fedora 15 Alpha - screenshot 1

E como ficou:

Fedora 15 Alpha - screenshot 2

Update

A maior parte das configurações aqui apresentadas podem ser feitas com a utilização do gnome-tweak-tool (que deve estar disponível no repositório da sua distribuição).

No openSUSE 11.4 com GNOME 3, o comando para alterar a DPI da fonte não funciona. No entanto, ao invés da DPI, é possível configurar o "Text scaling factor" com o gnome-tweak-tool. Um ajuste fino pode ser feito pelo gsettings. Exemplo:
gsettings set org.gnome.desktop.interface text-scaling-factor 1.164

Referência: https://wiki.archlinux.org/index.php/Gnome_3

12 comentários

so20ver disse...

Queeeee maravilha! (modo sarcástico ON)
Saí do Windows, um sistema que para trocar fontes - que por ventura já vêm bem feitas POR PADRÃO - é um recurso simples de fazer, bastanto apenas acessar o Painel de Controle...
De fato o Fedora, em especial, possui um uso de internet MUUUITO mais aproveitável, além de que inacreditavelmente estou utilizando o youtube 100% (ISSO MESMO, 100%) via HTML5, dispensando COMPLETAMENTE o uso do maldito flash player, da Adobe, que além de ser pesado em qualquer máquina ou aparelho eletrônico, é muito instável.
Mas é sempre assim, parece que é provocação para fazer o cara voltar para o Windows: Sempre, em definitivamente todos sistemas operacionais linux, há problemas que são logicamente considerados inaceitáveis para o padrão da "Era da Informática" atual. Mas enfim, é apenas um desabafo, meu Windows 7 estava (e é) tão ruim, com travamentos e lentidões gerais, além de problemas com o uso a médio prazo. Vou continuar no Linux Fedora, que até agora é o que mais me agradou dos que testei (apesar de ter testado relativamente poucos sistemas Linux). Meus favoritos por enquanto são Fedora, em primeiro, e LinuxMint, em segundo. Ainda estou interessado em conhecer muito mais sistemas Linux, em especial o OpenSuse, mas deixamos para outra hora, estou de fato satisfeito (porém não 100% como imaginava que poderia ser) com o Fedora 16. Minha internet VOA, não mais navega, com o Linux! <3
No fedora o único problema que encontrei mesmo foi esse da fonte, que considerei GRAVÍSSIMO, ainda mais pelo fato de ser algo difícil de fazer. Mas enfim, muito obrigado pela dica, mas eu dispenso configurar um fonte precisando recorrer ao terminal. Desculpa a sinceridade, mas é assim que com certeza a população vê: Algo "sem noção" de ter que ser feito para uma coisa que deveria ser simples.
Abraços!

Rodrigo Miguel disse...

Caro so20ver,

Este post é antigo, do tempo em que não havia muitas opções de configuração no GNOME 3 - que tinha acabado de ser lançado.

Atualmente, você pode ajustar o tamanho da fonte nas configurações do sistema ou pelo GNOME Tweak Tool (instale o GNOME Tweak Tool pelo gerenciador de pacotes).

Você também pode experimentar um ambiente de trabalho diferente, como o KDE, XFCE, LXDE ou mesmo o GNOME 2 (no caso do GNOME 2, em uma versão mais antiga do Fedora ou outra distribuição).

so20ver disse...

Posso mesmo ajustar a fonte em "Configurações do Sistema"? Tem certeza disso?! Não há NADA lá na "incrível e completa" (sarcasmo novamente, claro) categoria "configurações do Sistema". Onde que você viu isso no Fedora 16 GNOME?
Ah, enquanto eu escrevia isso, logo após um tempo percebi mais um erro ridículo: A dificuldade em baixar automaticamente - ou ao menos listando o codec de maneira fácil de achar - o codec proprietário MP3. É tão difícil simplesmente abrir uma música MP3, não é mesmo? (Sarcasmo novamen... OOOPS! No Fedora 16 definitivamente NÃO é sarcasmo, é FATO!)

so20ver disse...

Com relação ao MP3, retiro a crítica parcial que escrevi, apesar de que ainda assim não retiro essencialmente a crítica, pois foi fácil de conseguir o codec MP3, apesar de ter a obrigação de usar o Terminal. Só acho ruim e estranho isso.

so20ver disse...

E apenas uma informação complementar, que foi o meu caso: O meu problema estava relacionado às fontes do Firefox, não do sistema. Eu achava que as fontes mudariam de maneira geral (que bom que é separado, melhor personalizável). Apesar disso, esse bug não se encontra no Windows. Mas a fonte, pelo menos aqui, estava como Serif 16. Bastou eu mudar para Serif 14 e TUDO ficou perfeito, inclusive com as letras aparentemente mais bem trabalhadas do que no Windows, além é claro de ter sumido o bug da imperfeita escrita nas palavras (não sei se posso chamar isso de decodificação também, já que o mesmo possui significado para o método internacional utilizado pela escrita). É só acessar "Editar"/ "Preferências"/ "Conteúdo" no Firefox e lá está a danada! rs

Rodrigo Miguel disse...

Caro so20ver,

Acesse Configurações do Sistema > Acessibilidade.

Esta funcionalidade, no momento, é limitada...

Por isso é mais recomendável usar o GNOME Tweak Tool: http://www.projetofedora.org/wiki/index.php/Fedora_dicas#Como_fa.C3.A7o_para_alterar_as_configura.C3.A7.C3.B5es.3F (este link pode lhe ser muito útil)

No mais, você não tinha sido muito claro no seu primeiro comentário, que se tratava do Firefox...

;)

so20ver disse...

Ah sim, realmente há a possibilidade de aumentar e diminuir a fonte, apesar de ser realmente bem limitado, mas já ajuda e MUITO! Consegui ajustar ainda mais a qualidade da fonte reduzindo para o tamanho menor que tinha (antes estava no modo normal, mas as fontes pareciam maior que o convencional, agora sim ficou uma maravilha!)
Sobre o firefox, eu realmente vacilei heheh
Achava que a fonte era alterada simultaneamente. Muito obrigado amigão, estou apaixonado pela Fedora. <3
Mas acho que vou trair ela um pouquinho com a Suse! kkkkk
Eu baixei a distro novinha aqui a 12.1 Live, gosto de conhecer geral! (:
Mas provavelmente vai ser só uma fugidinha com a Suse mesmo, porque acho difícil superar a distro Fedora, não que ache que OpenSuse seja ruim, só que estou muito satisfeito com Fedora 16. Vou lá dar um boot via pen drive agora mesmo. Se eu gostar também, gostaria de manter instalada as duas distros. Isso é possível, né?
Mas não faço idéia de como seja, eu confesso que fiquei irritado por não ter conseguido manter minhas coisas do Ubuntu quando fui migrar para o Fedora, parece que mesmo se fosse uma partição Windows seria fácil manter a partição apenas se fosse FAT32 ou VFAT, se não me engano. Mas dá de manter as duas distros, sendo que meu S.O atual e único é Fedora 16?

Ou seja, apareceram mais TRÊS dúvidas - juro que depois dessa eu paro de te incomodar! :D

1) Instalar duas ou mais distros linux em um HD é fácil?
2) Como verifico meu sistema de arquivos, se é ext4, ext3 ou reiserfs? (Acredito que meu Fedora seja ext4, pois é o sistema de arquivos novo, né?)
3) Como verifico o checksum através do Fedora e/ou OpenSuse das ISOs de SOs baixadas? Mesmo que seja via Terminal, para isso acho relativamente fácil de fazer.

Abraços, Rodrigo!

so20ver disse...

Desisto do Linux como superior imbátivel ao Windows.
Nem o recurso OPENSOURCE OpenGL funciona direito no Linux com placas gráficas onboard (e olha que a minha é uma Intel). Celestia funciona travando. Roms de Super Nintendo funcionam no ZSNES com travamentos intoleráveis quando está utilizando OpenGL (única maneira se for de 800x600 em diante). o BSNES (outro emulador de SNES) simplesmente não abre no Fedora. Pensar em Isos de Playstation então nem dá! Eu não sou um perfil de jogador, apenas jogo as vezes alguns jogos de console antigos, por exemplo, mas não passou no teste. Sou viciado mesmo é em navegar pela internet e ouvir música. Aprender coisas novas é meu lema. Mas não dá, Fedora possui dificuldades para resolver coisas simples como baixar um plugin MP3, baixar o Flash Player (para quem quiser o Flash para assistir "outros" vídeos que não seja Youtube), corrigir fonte (pior que ainda assim o bug ainda continua presente, após meus posts eu percebi isso)... Enfim, é problema demais para um sistema OPERACIONAL. A velocidade do linux Fedora já no segundo dia demonstra defeitos: Lentidão PIOR que no Windows quando está em seus primeiros dias de vida. Crashs sem motivo aparente, como por exemplo, o que tive pouco minuto antes desse post, em que fui abrir o ZSNES e mudei para a resolução 1024x768 e ele fechou tudo e foi para a tela de login. Tem um bug irritante que é com relação ao tempo de resposta entre os periféricos e a interface: Eu digito bem rápido, daí utilizo o recurso do Capslock ON/off. Portanto é necessário ligar e desligar com certa frequência. As palavras saem em duas maiúsculas, por exemplo. Como: 'LInux', ao invés de 'Linux'. Isso se dá ao fato de haver uma lentidão entre a interface/periférico; ocorre um problema com Keystroke (digitar as teclas) muito rápidos. Pessoas que digitam textos rápidos ficam irritadas com isso. É meu caso... Além do mais, estou cansado com as ISOs Linux que baixo. Praticamente todas não funcionam no PenDrive, exceto o Fedora. Aquele ISO OpenSuse não funcionou e eu nem faço questão de tentar novamente, pois sei que fiz tudo de acordo.
Mas enfim, vou continuar com o Fedora pois para a internet não há coisa melhor no mundo, na minha opinião, de todos SOs que já testei na minha vida (dezenas de SOs testados). Mas para o usuário geral não vale a pena ainda. É realmente uma distro promissora, particularmente achei a melhor das que já testei, mas ainda têm um longo caminho pela frente. Não por parte da Red Hat, que está de parabéns, mas a comunidade OpenSource em geral. Falando em geral, outro problema: Por que raios fazem uma LINDA e renovada interface GNOME, porém com uma enorme faixa estreita ao topo da tela com as única opções "Atividades" do lado esquerdo e os ícones de notificação, do lado direito... E ao meio uma visualização EXTREMAMENTE simples do dia da semana e horário. FALTA DE ESPAÇO NÃO FOI! Poderia seguir o esquema padrão, ou seja, marcar dia da semana, DIA DO MÊS e hora. É algo assim que parece tão sem sentido para reclamar, mas é mais sem sentido ainda ter a possibilidade de aproveitar mais do espaço livre e querer deixar mais "Clean". Claro, claro... Tão "Clean" que nem mais janelas em aberto aparecem nesse novo GNOME. Deve-se ir no menu "Atividades" para conferir as janelas...
O novo GNOME realmente não tem do que melhorar com relação a beleza. Mas sua beleza custou seus recursos...
Não há mais a necessidade de me responder as minhas questões anteriores não, pois são coisas que não quero mais levar em progresso, não quero "empurrar com a barriga" algo que não me agrada plenamente. Embora eu ache que seria bom que respondesse, pois pessoas interessadas no assunto teriam maior acesso a essas dúvidas.
E achei interessante que você também seja daqui de Santa Catarina, não faço idéia de que região você é, mas eu sou do litoral sul. ;)

so20ver disse...

Ok, agora confesso que estou confuso... Meu pen drive de 16 GB que não funcionava mais nem Windows Seven e nem no XP parece que passou a funcionar no meu Fedora! <3
É como se fosse um "milagre virtual" rs
Ele estava com cheiro de queimado, mas mesmo assim funcionou no Fedora...
Penso até em excluir meus posts anteriores, pois para quem não é de jogar, vale a pena a investida aprofundada sim!! É só se lembrar que algumas coisas serão diferentes do Windows, mas dá para adaptar-se sim...

Rodrigo Miguel disse...

"gostaria de manter instalada as duas distros. Isso é possível, né?"

Sim. Basicamente, você precisa instalar os cada Distribuição em uma partição separada. O mínimo de partições, para este caso, seriam quatro. Exemplo para um disco de 250 GB (exemplo!):

Partição Fedora = 30 GB (ext4)
Partição openSUSE ou Ubuntu = 30 GB (ext4)
Swap = 2 GB
Partição para arquivos pessoais / backup = o resto do HD (ext3).

Você pode particionar antes ou durante a instalação. Geralmente, a segunda Distribuição instalada reconhece a primeira e configura automaticamente o menu de boot. Recomendo instalar primeiro o Fedora e depois o Ubuntu. Ou primeiro o openSUSE e depois o Fedora (nessa ordem mesmo, por causa da versão do gerenciador de boot).

Se você não tem o Windows instalado, não há porque ter partições FAT.

Se você não tem experiência com particionamento, estude primeiro sobre o assunto e faça simulações em uma máquina virtual!

"Instalar duas ou mais distros linux em um HD é fácil?"

Sim e não. Depende dos seus conhecimentos...

"Como verifico meu sistema de arquivos, se é ext4, ext3 ou reiserfs?"

http://linuxlike.blogspot.com/2011/11/como-formatar-um-pen-drive-com-o.html

"Como verifico o checksum através do Fedora e/ou OpenSuse das ISOs de SOs baixadas?"

md5sum nome_arquivo.iso

O Fedora não é muito adequado para usuários iniciantes. O melhor seria Ubuntu, Linux Mint ou Mandriva. Se está tendo dificuldades com GNOME, tente o XFCE (Xubuntu - se lê Zubuntu) ou Linux Mint KDE...

Pessoalmente, recomendo Ubuntu 11.10 com Unity-2D.

Sou do sul, TB.

so20ver disse...

Opa, muito obrigado pelas informações! Com relação ao Ubuntu, eu saí de lá porque não gostei. Achei o Fedora mais bonito (porém tem MUITOS bugs, como fechar sem motivo aparente um navegador ou fechar a sessão quando entrando em um determinado jogo - principalmente recentemente baixado - e mudando a resolução no jogo). Mas o pior que achei no Ubuntu é que eu tenho aqui 2 CDs da Canonical (Ubuntu e Kubuntu)e antes estava instalado o Ubuntu 8.10 GNOME: Acontece que por ser mais desatualizado, ele não faz mais update e é preciso alterar a lista e isso é complicadinho de fazer... E quando está feito, é descoberto que ele não faz upgrade para a mais nova versão. Eu havia baixado a ISO nova do Ubuntu, mas não consegui dar boot mesmo instalando corretamente (se não soubesse fazer isso eu logicamente não estaria digitando através do Fedora 16), apesar de que via VirtualBox testado no Windows funcionava 100%.
Agora, coisas como fechar o navegador sem motivos ou fazer reboot da sessão eu nem me importo tanto, pois são eventuais, não constantes - apesar de que erros como problemas de KeyStroke eu considero extremamente irritantes e "provocações" para me fazer voltar ao Windows ou baixar outra distro que não sofre desse problema. Mas também seria bom se o linux tivesse funcionalidade 100% de acordo com OpenGL, que ironicamente é Open Source... Você sabe me explicar o motivo de aplicações no Linux SEMPRE que precisam utilizar recursos gráficos SEMPRE possuem problemas enormes de desempenho? Minha placa é Onboard, porém é uma Intel GMA950, que no Windows possui um desempenho maravilhoso para aplicações "medianas" (GTA San Andreas, por exemplo). Já em QUALQUER linux que testei até hoje nem um joguinho simples que possui apenas alguns recursos gráficos funciona que nem uma carroça. Testei roms de SNES aqui no Fedora 16 e mesmo que desative tudo gráfico, apenas rodando "no seco" dá para perceber distorções na animação. E se eu colocar um filtro aí sim que fica inviável de jogar, pois fica bem lento.
Eu lembro que há anos atrás eu lia na internet que é porque as empresas de placas gráficas davam o devido suporte à comunidade Linux, porém isso não mudou de lá pra cá?!
E Você é de TB (Tubarão?!) :o
Sou de Capivari de Baixo, cidade aí do lado de Tubarão (lógico que se for de Tubarão sabe onde é:)

Rodrigo Miguel disse...

Olá so20ver.

Acho que sei como tentar resolver seu problema com o vídeo. Me mande um e-mail que te passo os procedimentos:

linuxlike.blogspot@gmail.com